Uma consciência fragmentada. Um corpo despedaçado. A morte me tem em suas mãos, derretendo minha alma no abismo do Ouro.

Não há o que fazer. Posso estar insatisfeita e reclamar, entretanto já havia aceitado tal desfecho. Eu conheço os limites da minha existência aqui e sei que um milagre nunca iria me agraciar……

Autodepreciação, autocondenação e um leve arrependimento. Ah, eu não quero mais pensar em nada; por que o mar do caos não podem me engolir logo e me libertar da maldição do pensamento?

Eu estive esperando por esse momento.

E mesmo assim……

Rusalka: “…………”

Ao abrir meus olhos, deparei-me com o céu; debaixo da abóbada celeste eu me encontro deitada, encarando o brilho do luar.

 “Hã……”

Não sei o que está acontecendo, mas tenho um leve discernimento do que acabou ocorrendo. Naquele momento, este corpo meu pereceu diante do Machina, e assim as cortinas da minha existência deveriam ter baixado ……

Acima, flutuando está o castelo demoníaco do Ouro. Dessa distância ele até parece pequeno, mas consigo visualizá-lo perfeitamente agora.

“Ah……”

Então foi isso que aconteceu?

“Está dizendo que não importa aonde eu vá, uma estrela da terra será sempre uma estrela da terra…..”

“Que eu sequer sou qualificada para derreter agora em seu castelo……”

Ainda assim, meu corpo foi usado para benefício deles. Eu fui expelida à força do castelo e jogada ao chão para ser o sacrifício da próxima Swastika.

Este deve ser o lugar onde se abrirá a sexta. Sequer poderei morrer como uma flor e descansar pelo tempo que virá; preciso agora suprimir a fome deste lugar antes que eles me levem de volta.

“Isso é cruel……sem o mínimo de pena……”

Por pura conveniência, eles me concederam a morte duas vezes. O medo sentido ao perder para o Machina — ter que sentir o sabor do mesmo desespero mais de uma vez.

“Fufu, fufufufu……”

Mas tudo bem, tanto faz. Eu não me importo nem um pouco.

No fim, eu só apenas uma pequena tartaruga, incapaz de alcançar ninguém; incapaz de chegar a lugar nenhum. Minha vida chegará ao fim assim, enquanto olho para o céu acima de mim e estico minha mão, ansiando pelo inalcançável. Não é um final adequado?

“Ah, tão encantador……”

Ah… que inveja.

“Ah, tão reluzente……”

Ah… é inalcançável.

“Se não havia como alcançá-lo, eu pensei que poderia pará-lo……”

Houvera uma vez em que certa pessoa contou-me sobre a santidade do efêmero momento……

Mas não consigo mais lembrar, eu já não sei mais quem foi. Sinto como se essas memórias finais que tanto ansiei e permanecessem inalteradas, agora estão secando e desvanecendo……

“Espere, não me deixe para trás……”

E, no momento que em vociferei…

“……………”

Quem está olhando de cima, por mim.

“Ah………”

Eu não sei. Quem é……?

“Encon… trei……”

Eu não sei explicar, mas minha mão começou a se mover sozinha, estendendo-se na direção de alguém que olhava de cima para mim, sem se importar com meu próprio corpo, prestes a se despedaçar.

“……Es……pe…re……”

Não consigo alcançar.

Não consigo alcançar.

Não consigo alcançar — por favor, não vá.

“T-Tem……uma pessoa com quem…eu quero encontrar……”

A misteriosa sombra que uma vez me jogou nesse caminho.

E também, uma outra pessoa……

“Eu gostaria…da eternidade……”

Aquele quem amei disse isso e agora eu desejo ser eterna……

“Pode ser que… me tornando eterna, eu possa encontrá-lo……”

“Pode ser que… me tornando eterna, eu possa ser amada……”

Eu não sei dizer… não tenho como assegurar. Mas tudo que não quero é ser deixada para trás mais uma vez.

“Por isso……”

Sua mão.

Na conjuntura do agora; em direção à morte, eu estiquei minha mão.

Não foi para puxar ninguém; não foi para afundar ninguém.

Apenas quero agarrar a mão que falhei em segurar naquela vez.

A mesma mão que não fui capaz de alcançar, a mão que foi levada pelo fluxo do tempo — a mão dele.

“Por favor……”

Eu a estiquei, ansiando, desejando com meu coração……

“————”

No instante em que alcancei, eu percebi.

“Aah……”

Não vi seu rosto, não entendi nada. Quem era ele, o que estava fazendo ou o que ele pensava sobre mim.

Mas eu o senti, com minha alma.

“Então… você esteve aqui todo esse tempo……?”

Este é ele. Não tenho dúvidas, certamente é ele.

Por isso……

“Ei……”

O que eu deveria dizer?

Antes mesmo de pensar, meus lábios já estava se movendo.

“Você ainda ama…o efêmero momento……?”

Ainda deseja torná-lo eterno?

“Por exemplo… este momento……”

Minha morte permanecerá em suas memórias como um momento para se relembrar — será um reluzente momento para se amar?

Você irá preservá-lo para sempre?

Para essa pergunta, ele respondeu……

Ren: “Sim……”

“Eu amo a estabilidade do tempo que congelou.”

Ele respondeu, falando da mesma forma como disse no passado.

Rusalka: “Fu, fufu, fufufu……”

Tão estranho. Tão estranho que as lágrimas não param de escorrer, mas tenho certeza absoluta que não é devido a uma emoção inexplicável.

“Você é mesmo……estranho, sabia?”

Ren: “Não quero ouvir isso de você, Rusalka.”

Eu senti uma satisfatória sensação de presciênciadéjà-vu.

Rusalka: “Adeus. Desta vez, eu irei na frente.”

E assim, sentido o júbilo de ter dito aquilo que sempre quis dizer, eu derreti no céu da noite.

Silberner Mond du am Himmelszelt,Ó Lua de prata que reluz no céu,
strahlst auf uns nieder voll Liebe.seu cintilar tão repleto de amor ele é.
Still schwebst du über Wald und Feld,Sua gentil luz ilumina o mundo;
blickst auf der Menschheit Getriebe.uma leal companhia para todos que vagam pela terra!

Oh Mond, verweile, bleibe, sage mir doch, wo mein Schatz weile.Ah, pare em seu passo, ó nobre Lua, pois saber eu preciso: onde meu amado está a minha espera?
Sage ihm, Wandrer im Himmelsraum,Transmita minhas palavras, andarilha dos céus!
ich würde seiner gedenken: mög’ er,Ele deve saber que meu coração anseia por ele.
leucht ihm hell, sag ihm, dass ich ihn liebe.Ah, transmita minhas palavras! Ele deve saber que meu amor queima apenas por ele!
Sieht der Mensch mich im Traumgesicht,Comigo ele deve sonhar na noite escura.
wach’ er auf, meiner gedenkend.Acorde-o para dissipar esta ilusão!

Cante, dance, fada do lago. Ó Lua, eu peço que agracie tudo com seu brilho gentil.
Eu finalmente encontrei o que procurava. Eu pude esbarrar com ele.

Eu oro para que sua luz possa apagar todas as sombras—

…acreditando nesse milagre do fundo do meu coração.